SETOR DA CONSTRUÇÃO

Varejo de material de construção de MT teve queda de 9% em janeiro

Porém, para 2019 a expectativa é de que o segmento cresça acima de 9%,
Quarta-feira 06 de Fevereiro de 2019
Redação
Varejo de material de construção de MT teve queda de 9% em janeiro
Foto: Reprodução

O varejo de material de construção teve desempenho estável no mês de janeiro, na comparação com dezembro. Já com relação a janeiro do ano passado, o setor teve queda de 9%.

A queda já era esperada devido aos investimentos das famílias realizados entre os meses de dezembro e janeiro incluindo: férias, cartão de crédito, IPTU, IPVA, volta às aulas e resquícios das compras de natal.

Porém, para 2019 a expectativa é de que o segmento cresça acima de 9%, segundo Gustavo Nascimento,  presidente da Associação dos Comerciantes do Varejo de Materiais para Construção (Acomac/MT).

“O setor vem crescendo, as vendas foram expressivas nos últimos 12 meses e o empresário está otimista para o ano de 2019. Esperamos um crescimento superior a 8% ao ano, baseado no 6,5% que tivemos em 2018. Alguns dados favoráveis indicam o progresso nas vendas, entre eles a confiança do consumidor no novo Governo, a  atratividade do déficit imobiliário, linhas de crédito atrativas com prazo dilacerado”, analisa Nascimento.

Em 2018 o varejo de materiais para construção teve um faturamento recorde de R$ 122 bilhões, em todo o Brasil.

A Pesquisa Tracking mensal da Anamaco entrevistou 530 lojistas entre os dias 24 e 30 de janeiro. Todas as regiões do país apresentaram resultados abaixo do esperado em janeiro: Centro-Oeste (-3%) foi a que registrou menor queda. Já  o Nordeste (-26%), Norte (-15%), Sudeste (-12%) , Sul (-9%) .

Entre as categorias pesquisadas, tintas apresentaram a maior retração no período (-40%), seguidas de revestimentos cerâmicos (-17%). Já telhas de fibrocimento cresceram 4% no mês, possivelmente por conta do aumento de volume de chuvas.

Gustavo Nascimento explica que a expectativa é que em fevereiro as vendas melhorem, porém, só em meados de abril quando as chuvas cessarem é que as reformas e construções devem voltar com força total.

O levantamento também apontou que 86% dos entrevistados estão otimistas com o novo governo. Enquanto 45% pretendem realizar investimentos nos próximos 12 meses, 20% dos entrevistados querem contratar novos funcionários já em fevereiro.

Para 2019, a Anamaco prevê crescimento de 8,5% sobre 2018.
 


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS