Mercado de Trabalho

20% dos jovens de países emergentes não estudam nem trabalham, diz pesquisa

Nas economias avançadas, apenas 10% estão nessa condição, segundo levantamento do fundo
Sexta-feira 01 de Fevereiro de 2019
Redação
20% dos jovens de países emergentes não estudam nem trabalham, diz pesquisa

Conforme um relatório do Banco Monetário Internacional (FMI) divulgado na semana passada cerca de 20% da população de 15 a 24 anos não estuda nem trabalha em países emergentes, isso significa o dobro do observado nos países avançados.

A ausência de jovens do mercado de trabalho e da escola tem como principal consequência a redução do crescimento potencial dos países e aumento dos conflitos sociais, de acordo com o FMI.

As economias emergentes costumam se beneficiar da entrada de novas pessoas no mercado de trabalho para acelerar o crescimento. Se essa força de trabalho não é bem utilizada, o avanço econômico dos países acaba limitado.

O estudo também mostrou que, apesar de o desemprego juvenil ter recuado nos anos 2000, ele segue elevado nos países emergentes, em 18%. Nas economias avançadas, é de 12%.

Uma das explicações para os resultados ruins do mercado de trabalho entre jovens se dá pela diferença de condição entre gêneros. Segundo o FMI, a taxa de mulheres que não trabalha nem estuda é de 30% nas economias emergentes. É o dobro do apurado entre homens jovens na mesma posição.

"Essa discrepância pode ser explicada pela consequência econômica de ter filhos", disse o FMI.


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS