CORTAR DESPESAS

Aprenda como cortar gastos e reduzir despesas

Não é possível cortar gastos se você não consegue visualizar qual o tamanho das suas despesas
Sexta-feira 08 de Fevereiro de 2019
Redação
Aprenda como cortar gastos e reduzir despesas
Foto: Reprodução

Todo mundo quer e precisa economizar, mas quando pensamos como aí surgem as dificuldades, já que uma vida financeira saudável exige planejamento e organização.

Para isso, além de realizar um controle rígido das despesas e elaborar um bom orçamento financeiro pessoal é necessário reduzir gastos extras.

Veja algumas dicas:

1 – Organize melhor o seu orçamento

Não é possível cortar gastos se você não consegue visualizar qual o tamanho das suas despesas em cada área. Por isso, é preciso ser rigoroso e anotar cada saída, do aluguel ao cafezinho da padaria.

Depois, você deve agrupar os gastos por área (alimentação, moradia, transporte, vestuário…) para ter uma ideia clara de onde é possível economizar.

Reserve uns minutos do seu dia para isso. Em 15 ou 20 minutos, você conseguirá anotar tudo que gastou. Aos poucos, isso se tornará um hábito. Outra sugestão é utilizar aplicativos de celular de gestão financeira e anotar os gastos no momento que são realizados.

2 – Reorganize as despesas

Nesse momento, o ideal é readequar as despesas de acordo com as áreas específicas. Segundo especialistas, em um orçamento equilibrado, a receita da família deve ser dividida da seguinte forma:

50%: despesas essenciais (moradia, alimentação, transporte, educação…);
35%: lazer e gastos extras;
15%: caixa (guardar para emergências ou para um objetivo especifico) e pagar dívidas, caso seja necessário.

Caso você esteja gastando mais de 50% com despesas essenciais, é preciso readequar o orçamento e encontrar soluções para equilibrá-lo.

3 – Analise as dívidas

Caso a família possua dívidas, entenda qual o valor real delas e como podem ser pagas. Calcule juros, negocie formas de pagamento e refinanciamentos.

Nesse momento, seu objetivo é tentar diminuir o valor dessas dívidas, buscando alternativas com os credores. Uma possibilidade é trocar dívidas caras por outras mais baratas. Por exemplo, realizar um empréstimo consignado (que tem baixos juros) para pagar a dívida do cartão do crédito (que tem os mais altos juros) para evitar que essa dívida aumente.

Sabendo o valor real dessas dívidas e planejando o pagamento, você conseguirá entender qual parcela do seu orçamento será necessária para isso – sempre atuando para que esse valor fique dentro do limite de 15%. 

4 – Adeque os gastos

Coloque uma meta clara: diminuir os gastos de uma área essencial por mês. Dessa forma, você adapta o orçamento gradualmente, diminuindo os impactos no dia a dia.

Dê preferência para as áreas em que os gastos sejam maiores. Por exemplo: você percebeu que o gasto com transporte está alto. Quais as soluções? Uso de transporte público? Revezamento de carros? Encontre a melhor solução para diminuir esse valor em pelo menos 10%. Você sabia que um guia usuário do aplicativo GuiaBolso descobriu após organizar suas finanças que estava gastando muito com o carro e resolveu vender o carro? Leia a história.

5 – Faça uma reserva de emergência

Para evitar que seu planejamento seja desperdiçado por causa de uma situação de emergência, o ideal é ter uma reserva. Os especialistas apontam a quantia de 10 a 15% da renda mensal como a ideal para se guardar, mas você pode guardar o que seu orçamento permitir naquele momento. Outros falam em seis meses de salário como uma boa quantia de reserva.

Entender como cortar gastos essenciais é muito importante para manter uma vida financeira saudável e viabilizar os seus sonhos.

Acompanhe mais dicas sobre finanças pessoais e notícias que impactam o seu bolso no portal MT Econômico. Clique aqui e confira.
 


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS